" Quando me ponho a compor frases e rimas, não sou mais eu a pensar, mas a Alma de Poeta que cisma em fazer giros no ar..."


segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Resenha


"Quantas vezes buscamos num lugar infinitamente distante um sentido para nossa vida? Quantas vezes nos sentimos perdidos, e não enxergamos o caminho que está à nossa frente? No fundo da alma, todos nós, seres humanos, temos um desejo em comum – só queremos ser felizes. Não necessitamos de muito, só precisamos aprender a olhar as coisas e as pessoas como elas realmente são. Ivy não sabia – mas sentia – que a sua felicidade habitava uma daquelas estrelas. E teve que percorrer um longo caminho até ela". Bel Plá

**Para adquirir o livro, enviar e-mail para:
bebel.pla@gmail.com

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Convite

Convido a todos amigos e apreciadores da poesia e literatura a compartilharem comigo este momento ímpar em que lanço meu primeiro livro. Tua presença será minha alegria.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Roda de chimarrão




Quando a tarde vai caindo,
E chega o fim do dia,
 a passarada vem, em bandos,
para os galhos da grande árvore,
bem na hora da Ave-Maria,
 a alma da gente vai se apequenando...


A  barra do sol  avermelha no horizonte,
e tudo em volta fica sossegado...
tento fugir, mas não tem jeito.
bate aquela saudade de casa,
saudade do meu pago amado,
que carrego dentro do  peito.

Tão logo a noite pinta o céu
de lápis preto,  e as estrelas, com seu lume
bordam  poemas no infinito,
junto os gravetos, faço o fogo,
encho a cambona, meu costume,
e não me sinto mais solito.

Enquanto o fogo vai  amornando,
dou um jeito no galpão,
sem muito aprofundamento.
Cevo o mate, incho a erva,
dedilho o violão,
e espero mais um momento.

Finalmente a turma chega,
das suas lides se esquece.
No galopar da cidade,
cada um tem seus tormentos.
O coração da gente se aquece
na grande roda da amizade.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010





É pura música e poesia...
No topo do mundo contemplo a obra do Criador.
Minha alma se rejubila com tamanha diversidade de tons,
sabores, acordes, fragrâncias...
tantos sentires e tantos amores.
Bailo, ao vento,
jogo meus sonhos, contemplo.
Mergulho na imensidão do vazio tão cheio de Vida.
Não sou mais só eu,
sou todas, sou uma,
sou a reunião de todas as criaturas,
tão simples, tão plena, tão eu.
Dispo as camuflagens e revelo o Ser.

domingo, 21 de novembro de 2010





FERTILIDADE


COMO SEMENTE PLANTADA...
ELA SE DESPE,
SE ENTREGA,
E SE AGITA AO CALOR DA ESTAÇÃO.
COMO ÁGUA MANSA...
ELA CULTIVA,
ESPALHA,
E ACARICIA COM MÃOS DE VELUDO.
COMO ÁRVORE FRONDOSA...
ELA SE COBRE,
SE ENFEITA,
E CRAVA SUAS RAÍZES NO CHÃO.
COMO ESTRELA MATUTINA...
ELA SE ROMPE,
EXPLODE,
E ENCHE A TERRA COM SEUS FRUTOS.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Quando um homem ama uma mulher

Quando um homem ama uma mulher
Ele se desvenda por inteiro.
Sobe montanhas,
Singra mares,
Enfrenta nevoeiro.
Mas quando ao lado dela está,
Sua alma se aquieta.
Vira poeta,
Olha a lua,
É somente o companheiro.

Quando um homem ama uma mulher,
É como se chegasse ao fim da estrada.
Sossega o espírito,
Recobra o fôlego,
E recomeça a caminhada

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Paz

PAZ

É na paz desse olhar
que eu repouso o meu cansaço.
Que eu me esqueço
do quanto ainda falta
prá chegar.

Na doçura desse olhar
eu me entrego e desfaleço.
E adormeço
como se a vida agitada
não viesse me buscar.
No silêncio desse olhar
é que eu emudeço.

Quanto mistério eu desconheço
na paz que emana desse olhar...

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Eu falo com Deus!!

Com certeza, no silêncio, num cantinho da minha alma, eu falo com Deus.
Quando encontro um irmão na rua, eu falo com Deus.
Quando olho no rosto dos meus filhos, eu falo com Deus.
Quando abraço meu bem, e seus braços quentes me aquecem, eu falo com Deus.
Quando olho as estrelas, a água, a chuva, a terra, as árvores, eu falo com Deus.
Quando acordo, e sei que estou viva, cheia de gratidão eu falo com Deus.
E digo: Muito obrigado.








Eu falo com Deus!!

Com certeza, no silêncio, num cantinho da minha alma, eu falo com Deus.
Quando encontro um irmão na rua, eu falo com Deus.
Quando olho no rosto dos meus filhos, eu falo com Deus.
Quando abraço meu bem, e seus braços quentes me aquecem, eu falo com Deus.
Quando olho as estrelas, a água, a chuva, a terra, as árvores, eu falo com Deus.
Quando acordo, e sei que estou viva, cheia de gratidão eu falo com Deus.
E digo: Muito obrigado.

domingo, 24 de outubro de 2010

POESIA



No sabor do vento
joguei meus pensamentos.
Fugazes,
vivazes,
contidos,
perdidos.
No redemoinho do espaço,
minhas idéias subiram,
dançaram,
testemunharam fatos e
tomaram forma.
Dei o nome de POESIA.