" Quando me ponho a compor frases e rimas, não sou mais eu a pensar, mas a Alma de Poeta que cisma em fazer giros no ar..."


segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Resenha


"Quantas vezes buscamos num lugar infinitamente distante um sentido para nossa vida? Quantas vezes nos sentimos perdidos, e não enxergamos o caminho que está à nossa frente? No fundo da alma, todos nós, seres humanos, temos um desejo em comum – só queremos ser felizes. Não necessitamos de muito, só precisamos aprender a olhar as coisas e as pessoas como elas realmente são. Ivy não sabia – mas sentia – que a sua felicidade habitava uma daquelas estrelas. E teve que percorrer um longo caminho até ela". Bel Plá

**Para adquirir o livro, enviar e-mail para:
bebel.pla@gmail.com

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Convite

Convido a todos amigos e apreciadores da poesia e literatura a compartilharem comigo este momento ímpar em que lanço meu primeiro livro. Tua presença será minha alegria.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Roda de chimarrão




Quando a tarde vai caindo,
E chega o fim do dia,
 a passarada vem, em bandos,
para os galhos da grande árvore,
bem na hora da Ave-Maria,
 a alma da gente vai se apequenando...


A  barra do sol  avermelha no horizonte,
e tudo em volta fica sossegado...
tento fugir, mas não tem jeito.
bate aquela saudade de casa,
saudade do meu pago amado,
que carrego dentro do  peito.

Tão logo a noite pinta o céu
de lápis preto,  e as estrelas, com seu lume
bordam  poemas no infinito,
junto os gravetos, faço o fogo,
encho a cambona, meu costume,
e não me sinto mais solito.

Enquanto o fogo vai  amornando,
dou um jeito no galpão,
sem muito aprofundamento.
Cevo o mate, incho a erva,
dedilho o violão,
e espero mais um momento.

Finalmente a turma chega,
das suas lides se esquece.
No galopar da cidade,
cada um tem seus tormentos.
O coração da gente se aquece
na grande roda da amizade.